PACER

Escrito por

Gonçalo "Melgacius" Carvalho

Data de publicação

06 Novembro 2020 09:00

Tópicos

Parece inacreditável, mas há cerca de um mês andei a procurar Wipeout para jogar no PC. Ainda bem que não encontrei porque agora apareceu-me PACER, o seu irmão gémeo, mas carregado de armas. Não dava para ser melhor.

PACER coloca-nos a correr em naves com sistemas antigravidade a velocidades vertiginosas. A música electrónica ainda acentua mais essa mesma sensação, e juntos parecem fazer subir a adrenalina do jogador. Mantemo-nos na temática cyberpunk com cores berrantes por toda a parte, mas aqui ficam bem. Encaixam. Para falar a verdade acho que não consigo imaginar estes jogos doutra forma.

Quando conduzimos a sensação de velocidade é real, especialmente se jogarmos em primeira pessoa, e isso faz com que a condução careça de alguma adaptação. Gostei do sistema que invariavelmente envolve uma dupla acção para efectuar uma curva perfeita, pois para além de virar temos que travar com o lado certo da nave. Conforme vamos aperfeiçoando a nossa habilidade as curvas vão saindo melhor e a certo ponto começamos a adicionar o drift ao nosso estilo. Com isto não imaginem um jogo de condução no Japão, mas manter a inércia é importantíssimo, já que é bastante fácil perder toda a velocidade nas intrincadas curvas e contracurvas das imensas pistas que o jogo nos apresenta. Decorar a pista acaba por ser essencial.

Ok, dominaste a condução, vamos às armas. Para além de teres de virar e travar para o lado certo ao mesmo tempo, é muito frequente ser nas curvas que consegues aproximar-te o suficiente do adversário da frente para disparares as tuas armas. Fazer 3 coisas simultaneamente não é para mim, num dia bom consigo fazer uma em termos, e viva o luxo! A partir do momento que chegamos ao primeiro lugar e nos concentramos na condução, não considerei o jogo excessivamente difícil. Frequentemente conseguia manter a posição, já que o efeito de rubber banding não é tão notório como em jogos do mesmo género, e desde que não faças asneira da grossa, tiveres o setup certo, ou os adversários não estejam constantemente a lixar-te com as armas vais conseguir ganhar uma corrida.

Podes usar diversas armas, fazer loadouts a gosto não só para as armas, mas também com a performance da tua nave. Vais desbloqueando todas as opções e cosméticos com dinheiro que ganhas no jogo. Não precisas de fazer muito grind, o ritmo é generoso e constante. Com o decorar das pistas vais perceber que armas se adequam mais a cada uma delas, e irás tentar coordená-las com a tua habilidade e estilo de jogo. Há armas que são teleguiadas, mas não são especialmente fortes, outras que dependem muito da nossa habilidade, mas são mortíferas. Também há armas que podes usar defensivamente, se achas que vais passar muito tempo na liderança da corrida.

 

Há diversos modos de jogo e todos eles são incluídos no modo de carreira. Para além desses, vais ter propostas para integrar equipas com diferentes objectivos. O replay value vem um pouco desses diferentes objectivos, mas para falar a verdade o jogo vale pelas corridas em si, e não consegui ver o modo carreira como algo imprescindível ao seu conceito. Foi uma boa adição, tenta colar muito dos aspectos que o jogo tem para oferecer, mas não torna a tua experiência muito diferente. É giro, mesmo assim. Se não quiseres podes ir directamente para quickplay, ganhas dinheiro na mesma e não te preocupas com mais nada.

Já sabem que não sou o jogador dos modos online, mas este fui jogar e ver como é. Mesmo o jogo sendo novo já o apanhei um bocado vazio no dia a seguir ao lançamento, mas não são precisos muitos jogadores para o tornar divertido. Apanhei servidores com ping baixo, ou pelo menos não notei grande lag, algo essencial para isto resultar. O efeito de rubber band disfarça um bocado o facto de eu ser um nabo, e acabei por estar sempre metido no meio do barulho a disparar contra todos sem qualquer tipo de estratégia e só para me divertir. Contudo ainda nem tinha passado uma semana e já não apanhei servidores. Para mim não há qualquer problema, não gosto de jogar online, mas pode ser um problema para ti.

 

Assim este é um jogo antigo e actual. É claramente arcade, e terrivelmente divertido. Torna-se um bocado repetitivo e carece de alguma aprendizagem inesperada. Não sei se tem a diversidade para agarrar os jogadores o tempo suficiente para ficarem exímios condutores, mas isso não é necessário para tirares toda a diversão que desejas dum jogo como este. É uma recomendação muito fácil. Aproveita, que não aparecem muitos assim.

  • Lançamento: 29 de Outubro de 2020
  • Plataformas: PC/Xbox One/PS4
  • Desenvolvedor: R8 Games
  • Editora: R8 Games
  • Nota Pessoal: 7.5/10
  • Cópia para análise gentilmente cedida por R8 Games
  • Jogo analisado na sua versão para PC

Lançamentos

 

PositronX
29 Nov 2020
PC
Scorpius Games
Immortals Fenyx Rising
03 Dez 2020
PC/Xbox One/Nintendo Switch/PS4/Stadia
Ubisoft Quebec
Puyo Puyo Tetris 2
08 Dez 2020
PC/Xbox/Nintendo Switch/PS
SEGA

Guias

Ver todas

TOP Reviews

Ver todas