2017 Oct 01 / 21:55

Comunicação In-Game: Overwatch

O Moove traz até aos leitores da Hyped Magazine um artigo sobre a comunicação ingame no Overwatch. 

Acham que sabem tudo acerca de comunicar dentro do jogo?  Pensam que basta ter um micro e falar com os vossos colegas de equipa? Não conhecem este tipo de comunicação? Então não há problema. A partir de agora já vão ficar a conhecer e vão poder melhorar a comunicação com a vossa equipa e quem sabe, ganhar mais alguns jogos!

[imagem]

É mais do que comum ouvirmos que, em jogos de equipa, a comunicação é o factor de maior contributo para o sucesso de um conjunto.

Depois de assistir a vários jogos (por exemplo, da Overwatch Hyped Series) e alguns treinos de equipas que pediram algum tipo de ajuda em desenvolverse, o maior problema centra-se nas falhas contínuas em passar informação e também pela falta de uma pessoa (ou mais) que direcione a equipa para um objetivo comum, ou neste caso, um target comum.

Apresento neste artigo um guia básico de comunicação que irá ajudar as equipas a perceber a sua importância e o porquê de existirem alguns roles dentro da equipa e as suas vantagens.

In-Game Leader

PLAN/DO/CHECK

Começamos pelo role mais importante, o do Shotcaller, que é o responsável por todas as calls dentro do jogo, sendo associado ao role de IGL. Este é o que todos os jogadores seguem e não funciona sem informações constantes do resto da equipa. O shotcaller elabora o plano (PLAN), faz com que a sua equipa execute o mesmo (DO) e confirma (CHECK) se a estratégia é adequada para os engages seguintes.

Para este role, deve ser escolhido um jogador que tenha já experiência de liderança ou já tenha esse papel dentro da equipa, para além de ser uma pessoa com extrema facilidade em comunicar constantemente. É escolhido alguém com posição e vantagem de visão da sua equipa e do adversário e com bom survival como um Lúcio (assim como a sua capacidade de forçar engages/disengages com o speedboost), mas pode ser feita outra escolha na frontline como um Winston (já que inicia as fights em Dive), não sendo um role exclusivo mas que torna a sua tarefa mais fácil.

Resumindo, este role é responsável por:

• Setup inicial da equipa (Deathball, Dive, etc)

• Preparar a estratégia de engage/defense (indicar local para movimentação da equipa ou o hold)

• Avaliar o setup adversário (avaliar os targets a focar ou forçar counters)

• Forçar teamfights (engage) ou recuar/evitar fights (disengage) sabendo da vantagem ou desvantagem da equipa no momento

• Callouts de targets prioritários/low hp, ultimates da equipa versus adversário, cooldowns, posicionamento da equipa versus adversário (todo este fluxo de informação também vem dos restantes membros da equipa darem informação à equipa)

Targetcaller

Existem equipas que escolhem um jogador responsável apenas pelos targets a serem focados no início e durante as teamfights, fazendo com que o shotcaller apenas comunique estratégias (setups, engage/disengage, ultimates) enquanto o targetcaller comunica em quem focar o damage e quem se encontra fora de posição na equipa adversária. Novamente, o role não é exclusivo a nenhum membro, podendo ser dado a um DPS que controla o adversário e o seu posicionamento.

Restantes Membros

Independentemente de haver apenas 1 membro responsável por calls ou como referido acima, ter 1 shotcaller e outro targetcaller, os restantes membros da equipa devem manter um fluxo de informação saudável e limpo para ajudar os callers da equipa a tomar decisões.

Informações essas que podem ser:

• Jogador X gastou cooldown (Tracer sem recall / Genji sem dash / Ana gastou nade) que permite os restantes focar nesse jogador sem cooldowns.

• Flanker X na nossa backline (informação para que exista backup/ajuda aos supports a lidar com o flank) ou qualquer outro tipo de posicionamento.

• Previsão de ultimates do adversário, para ajudar o shotcaller no engage/disengage da próxima fight ou estar já preparado para reagir (“Reinhardt deu muito damage nesta fight, na próxima deve ter Shatter!”)

É importante não esquecer de manter sempre a informação o mais concreta possível (Ex errado: “Tracer aqui!” - “Aqui onde?”) de forma a ajudar a equipa e não criar confusão com informação desnecessária.

[imagem]

Tendo o básico da estrutura da equipa elaborada, vamos analisar um exemplo no mapa de King’s Row.

A equipa da Hyped começa a atacar King’s Row, e temos o Shootsgud como shotcaller.

• O shotcaller comunica na preparação que vamos com Dive comp Winston+DVa com o setup de 2 
 healers Lúcio e Zenyatta, e os DPS serão Widowmaker e Genji.

• A estratégia será avançar para atrás da estátua (STATUE, a vermelho) para estudar o setup que vamos encontrar e aguardar pela call de engage do shotcaller. 

• Início da match, a equipa segue para o local definido e recebe informação da Widowmaker no cinema (MOVIE, a azul) que a equipa adversária tem um Soldier a movimentar-se sozinho para o CLOCK (a amarelo no Highground).

• A equipa está no local definido, o shotcaller vê o setup adversário (dando como exemplo, setup de Reinhardt Zarya Soldier Tracer Ana Lúcio), vê o Soldier adversário sozinho conforme informação dada, e o shotcaller dá a call de engage no Soldier.

•  A equipa adversária perde o Soldier ficando reduzida a 5 elementos. O shotcaller força o engage por estar em vantagem numérica (e de spawn) e avança-se para o ponto.

• Com o ponto a ser capped e o adversário em desvantagem, vão sendo eliminados com o trabalho do dive do Winston DVa e o Genji a criar espaço para a Widowmaker na backline.

• O Zenyatta da equipa dá a informação que passou uma Tracer para o hotel (a verde) e que esta vai estar nas costas da equipa, fazendo com que a D.Va se movimente para ajudar os supports usando o matrix enquanto a Widow trata de eliminar targets.

• Os outros 2 membros vão puxando o spawn adversário (Winston, Genji e depois a Widowmaker a estabelecer posição no highground dos halls) tendo picks dos que vão aparecendo mais tarde e que não recuaram a tempo, tendo os restantes a concluir o point capture do ponto A. Fight terminada, regroup no ponto, continuação da estratégia.

Neste caso, se por exemplo a Widowmaker tivesse sido eliminada pelo Soldier ou outro membro, o shotcaller deveria dar call de disengage e regroup da equipa junto ao spawn para terem uma nova tentativa em conjunto com os membros todos ou alterar a estratégia/setup. Sendo a primeira fight e com sucesso, não existe calls de ultimates a não ser a seguir ao point capture.

Esperamos que com este artigo já seja possível terem alguma base para desenvolver a vossa equipa. Com continuidade nos treinos e tendo a  melhoria contínua na comunicação da equipa com estes exemplos, já  existe uma base para o vosso sucesso. 

Boa sorte e bons jogos!