2018 Feb 27 / 20:40

Entrevista: Greyy e os OpTic Academy

Os OpTic Gaming, organização americana já conhecida e detentora do slot de Houston da Overwatch League (Houston Outlaws), anunciaram na semana passada a sua academy team que irá participar na Overwatch Contenders deste ano.

 

Confirmando já alguns rumores, temos mais um jogador da nossa selecção Portuguesa presente numa equipa Americana, o Luís "Greyy" Perestrelo !

Aproveitando esta boa notícia, apanhamos o Greyy entre as scrims de horário Americano, para ficarmos a saber mais sobre o seu percurso e objetivos..

Hyped: Olá Greyy! Obrigado pela disponibilidade para algumas perguntas.. Antes de passarmos a Overwatch talk, quem é o Greyy?

 

Greyy: Olá! Ora bem, o Greyy é apenas um gajo de 24 anos que sempre gostou muito de videojogos, em grande parte porque o meu irmão "Senss" tinha uma lanhouse desde os meus, quê, 8 anos?

Portanto desde que me lembro que passo as tardes a jogar; desde Counter-Strike (1.3 lol), Quake, Starcraft, e por aí. Para ser sincero nunca tive a ambição de ser pro gamer, até porque sempre me dediquei bastante aos estudos e, sinceramente, gostava (e ainda gosto) do que estudei. Acabei por me tornar pro em Overwatch um bocado "por acaso".

 

 

Hyped: A tua carreira nos esports começou no Starcraft, certo? Qual o motivo de mudança para o Overwatch?

 

Greyy: Haha, chamar o que eu tive no starcraft de "carreira" é esticar um bocado, nunca me iniciei pelos caminhos de ser pro gamer (nem ambicionei tal), mas sim... foi o jogo que me dediquei mais antes do Overwatch e que joguei a um nível mais elevado (Grandmaster nesse jogo nao é brincadeira). 

Não houve nenhum motivo especial para eu me dedicar ao Overwatch, simplesmente quando o jogo saiu, eu estava a descansar um bocado depois do meu curso, acabei por nerdar imenso no jogo e olha, tornei-me um jogador decente; a partir daí decidi tentar ter de facto uma carreira, comecei a dar tryhard na ladder e a fazer stream, e apenas demorou uma/duas semanas depois de eu ter feito essa decisão para alguém reparar em mim e me convidar para jogar numa equipa tier 1.

 

 

Hyped: Começaste a dar nas vistas nos Bench Boys, passando depois para os Lazer Kittenz onde estiveste na Coreia do Sul em que o mowzassa se juntou e no final, os Cloud9. Como foi toda esta experiência?

 

Greyy: Foi um longo percurso! O tempo que passei nos Bench Boys foi interessante, foi a primeira vez que joguei com e contra jogadores de Tier 1; o Kryw e o Hal descobriram-me através da Ladder, de jogarem algumas vezes com e contra mim, e eventualmente calhou de o Hal estar a ver a stream do Soon e a ver-me a safar bem nos 1v1s de Ana vs Tracer e ficou impressionado, o que o levou a convidar-me para um trial. Ainda hoje sou bom amigo do Winghaven e do Kyb, jogadores com quem joguei nessa altura.

Passando para os Laser Kittenz, ainda continuei a jogar com o Kyb, e tivemos a oportunidade de passar 5 semanas na Coreia onde aprendi imenso, tanto a um nível individual como a um nível mais estratégico. Também me diverti imenso... Seoul é uma cidade inacreditável - e eventualmente o Mowzassa juntou-se a nós lá e a equipa ficou extremamente mais forte - não só porque o Mow é um monstro mecanicamente, mas também porque tem um cérebro que percebe bem como o jogo funciona.

Daí partimos os 2 (mais o Spazzo, meu coach desde os Bench Boys) para os Cloud9, fizemos um bootcamp na Alemanha e foi nesta altura que mais evoluí como jogador e como teammate. Penso que os Cloud9 foram o auge da minha carreira, pois foi o torneio com mais prestígio onde competi até agora. Infelizmente, os Cloud9 acabaram por não nos levar para a Overwatch League e optaram por uma equipa de 12 coreanos - mas não os posso julgar, ganharam o Stage 1.

 

 

Hyped: Como surgiu esta oportunidade de jogar pelos OpTic

 

Greyy: Depois da Season 1 do Contenders, uma coisa tornou-se bastante óbvia: infelizmente, competir em NA aumenta as tuas probabilidades de entrar na Overwatch League mil vezes. Equipas e jogadores NA que nós destruíamos completamente em scrims enquanto estávamos em Los Angeles foram picked up; neste momento, a OWL tem cerca de o mesmo número de jogadores europeus como jogadores americanos, mas a maioria desses jogadores europeus competiram na cena americana, e não na europeia (exemplo: Rogue, EnVyUs).

 Portanto, eu decidi logo que queria competir na Season 2 do Contenders em NA. Tive oportunidades na Europa igualmente boas em termos de salário/condições/jogadores/staff, mas estava bastante determinado em competir em NA pois (de novo, infelizmente), é a melhor forma de se subir para a Overwatch League.

OpTiC foi uma das várias teams para as quais dei tryout e acabei por aceitar ficar com eles. O Spazzo também está com eles, o que foi algo que me motivou logo a escolhê-los - saber que posso confiar no conhecimento do meu treinador é algo que valorizo imenso. 

 

Hyped: Achas que podemos ver o Sombrero a jogar na Overwatch League após showcase na Contenders?

 

Greyy: O grande objectivo é esse! 

 

 

Hyped: Obrigado Greyy! Contamos com a boa representação Portuguesa na Contenders! Algo que queiras acrescentar?

 

Greyy: Não tenho muito a acrescentar, apenas quero dizer que fico à espera do Mowzassa para bebermos um copo em LA, quando ambos estivermos na OWL !

Luís "Moove" Silva


Game addicted desde as primeiras consolas, esteve sempre ligado a projetos e organizações de esports. Dedica-se a realizar entrevistas e ser o “árbitro” no programa The Desk.