2018 Oct 02 / 21:00

rizz: ''Nunca me passou pela cabeça largar a For The Win''

Com a formação da super equipa portuguesa, decidimos ir ao encontro de Rui "rizz" Lima, a única adição da equipa sem experiência internacional.

rizz fez uma entrada bastante tardia no CS:GO, mas rapidamente foi subindo no ranking nacional, tendo assinado o primeiro contrato com os Hexagone. Alguns meses depois, no entanto, recebeu a proposta para os OFFSET e mais tarde a FTW, que foi a sua última equipa antes de saír para Espanha.

Recentemente, os Vodafone Giants venceram o qualificador português para o IeSF EWC 2018, que irá decorrer em Kaohsiung, na Républica da China, de 6 a 13 de novembro. Estão ainda na segunda temporada da MLP, em primeiro, na LVP La Copa 2018, onde se situam nos quartos-de-final, e ainda na quarta temporada da ESL Masters España.

Olá rizz e obrigado pela entrevista! Para começar: como é que entraste no CS e mais tarde no mundo (semi) profissional deste?
Comecei a jogar CS 1.6 em 2007 com amigos. Desde que conheci o jogo que fiquei viciado, passavamos muitas horas a jogar. Em 2010/2011 joguei em equipas que lutavam pelo top 1. Sendo quase certo o 2º ou 3º lugar, acabei por nunca vencer um grande torneio. Comecei a jogar CSGO em dezembro de 2016, e em julho de 2017 assinei pelos hexagone, onde comecei pela 1ª vez a receber dinheiro para jogar CS, embora fosse uma quantia muito pequena, impossível de viver só com esse dinheiro. Em Junho de 2018 venci finalmente o 1º grande torneio em Portugal. Há 2 semanas assinei um contrato profissional, e agora sim posso dizer que o dinheiro que recebo permite-me viver bem.

Como te estás a adaptar à equipa depois de cerca de um mês, sendo que é um lineup forte e a tua primeira experiência internacional?
Tem sido uma experiência fantastica, tudo o que tem envolvido a minha entrada e presença nesta equipa. A nivel pessoal foi um sonho tornado realidade, e agora resta-me trabalhar e aprender muito.

Tendo em conta o cinco totalmente português, como é que a vossa equipa participará nas ligas espanholas?
Para participar nas ligas Espanholas é necessário ter 3 jogadores em Espanha. Neste momento estamos à espera que a casa dos Vodafone Giants fique pronta, para que 3 dos nossos jogadores possam viver lá. Enquanto não está pronta, deslocamo-nos a Espanha para fazer os jogos oficiais.

A proposta dos Giants foi o motivo para largares a For The Win no inicio de setembro ou havia algum motivo subjacente?
Nunca me passou pela cabeça largar a For The Win até receber o telefonema do AIm a convidar-me para os Vodafone Giants. Estava muito feliz lá, quer com a organização quer com a minha equipa. O que me custou mais foi deixar o meu companheiro de guerra, que jogou sempre comigo no CSGO, stadodo, mas ele próprio foi o 1º a dizer para aceitar, que era uma grande proposta. E sem dúvida alguma que foi a melhor proposta que já recebi!

Além da participação na península Ibérica, têm algum objetivo internacional?
Os objetivos passam por participar em torneios internacionais, sendo que o único que está mais traçado é o Major. Todos nós temos esse sonho e vamos trabalhar para isso, com a perfeita noção que é bastante complicado.

Como é que surgiu a oportunidade de se formar a super equipa?
Os meus 4 colegas de equipa já andavam com isso na cabeça, e aconteceu porque surgiu oportunidade para tal. Quanto a mim, nunca pensei estar incluido, mas agora que estou vou dar o meu melhor e trabalhar o máximo para corresponder à confiança depositada.

Porquê uma organização espanhola? Não encontraram as condições que queriam aqui?
Infelizmente ainda não há nenhuma organização em Portugal capaz de nos dar as condições que pretendemos, e tivemos a sorte de encontrar isso em Espanha. Ainda assim, cada vez mais existem organizações Portuguesas que têm vindo a oferecer melhores condições aos jogadores, com a ajuda de grandes empresas a investir nos Esports. Caminhamos para uma altura em que, num futuro não muito longe, poderemos encontrar as condições que procuramos, cá em Portugal.

Recentemente qualificaram-se para Taiwan na Comic Con. O que achaste da experiência em Algés? Têm expectativas para o torneio lá fora?
A experiência em Algés foi bastante boa, o torneio foi bem organizado e as condições de jogo eram excelentes. Quanto ao torneio lá fora, a expectativa é de o vencer.

Na entrevista dos Giants aos teus colegas de equipa, o fox disse que não queria desistir até ir a um major com uma equipa portuguesa. Como é que te vês nesses planos?
Acho que jogar um major é o sonho de qualquer pessoa que se dedica a este jogo. O fox já foi a alguns com equipas internacionais, fazendo sempre excelentes resultados. Enquanto nenhum de nós não desistir, é possível. Com muito trabalho e espírito de sacrifício podemos lá chegar. 

Diogo "Eutalyx" Santos


Puto prodígio dos esports. 15 anos e é explorado no newswriting há 1. Metaleiro non-stop e culpa o irmão por tudo isto.